Monday, 10 November 2014

Quando a paixão do torcedor parece não ser suficiente

Todos nós que torcemos para o St. Pauli já temos decorado e sem qualquer chance de discussão que futebol é coisa de segundo plano. Concordamos e apoiamos o time na alegria e na tristeza, mesmo que a tristeza venha em maior número do que a alegria.

Não tem problema, o time está lá perdendo, se ferrando em campo, mas os torcedores nunca vão deixar de cantar You'll Never Walk Alone. Nós nunca vamos abandonar o time. Vamos apoiar e cantar até as cordas não aguentarem mais.


Mas e quando o time parece aqueles burricos que quando empacam, talvez seja necessário uma pickup com tração nas quatro rodas e um cabo de aço para tirá-lo do lugar? A gente continua lá também cantando, apoiando, acordando cedo pra assistir (no caso da turma aqui do hemisfério sul) o jogo na esperança de que dessa vez o time leve, com o 'agora vai' martelando na cuca. A gente não desiste nunca! Mas de novo ele não vai.

Põe técnico, tira técnico, e o time lá empacado. Mas a torcida está cantando, porém no entrelinhas da cantoria é possível ver que ela grita também por mudanças. Não adianta colocar um piloto novo se o carro está ruim.Mesmo que a gente saiba que futebol é segundo plano, queremos e sonhamos com o time em uma situação melhor. Uma situação melhor pro time é uma grana melhor entrando e a possibilidade de novos jogadores também. Porque a cada temporada nós vemos mais jogadores saindo do que novos entrando. Daí a balança nunca fica equilibrada e o time também desequilibra.

Pra piorar, a paixão dos jogadores parece não casar com a paixão dos torcedores. Eu pelo menos (e muitos amigos torcedores) estamos detectando falta de paixão nos jogadores, falta de ânimo. Precisamos de um time com mais paixão, mais vontade de jogar. A cada jogo você vê sempre um ou outro dando mais sangue na partida. Mas esse que deu sangue em determinada partida, não vai dar o mesmo na seguinte. O que acontece?

No último jogo vi algumas hashtags #nakiback. A volta do jogador para a Alemanha sinalizou uma esperança pra nós torcedores. O jogador também já mostrou esse desejo de voltar. Os torcedores cantaram nas arquibancadas pela volta do jogador e a diretoria não se mostra interessado em trazer o atacante.

Nós sabemos que, principalmente, os Ultras cantam do início ao fim do jogo. Mas na última partida se calaram por alguns minutos. O amor acabou? Não! Com certeza não! Mas quando empurrar o time não surte mais efeito os torcedores começam a cansar e exigir mudanças e nesse caso a diretoria deveria abrir o olho para o que a torcida está pedindo. 

Ele pode não ser a solução para todos os problemas, temos apenas 12 pontos e estamos lá embaixo na tabela. Mas ainda há tempo para recuperação e isso só vai acontecer se a paixão voltar ao campo. A paixão do torcedor não está sendo suficiente sozinha, não podemos descer no campo e jogar ou empurrar literalmente os jogadores. Algo tem que acontecer, algo tem que mudar e tem que ser agora! Porque a cada rodada as chances de recuperação vão diminuindo e a coisa vai começar a complicar.


St. Pauli é um sentimento e não podemos parar. Mas o time também precisa nos ajudar a não parar.


Forza St. Pauli!!!! 

1 comment:

  1. É consenso todo o ideário em torno do clube, e tudo que ele representa como o texto coloca, mas também acho importante que o time possa ficar numa situação melhor para que a força de sua ideologia e de sua torcida possa continuar permanente também, o clube esta em um contexto em que os resultados também são importantes para que ele possa continuar forte e sendo o que é, e talvez ainda mais forte, é um contexto de futebol profissional em que o clube esta inserido. O torcedor também quer mudanças dentro de campo. paixão, disposição e entrega são importantes também, para que os resultados possam vir e os torcedores continuem apoiando cada vez mais.

    ReplyDelete