Sunday, 23 November 2014

Für immer mit Dir!

Alguém: Lou, como você acompanha os jogos?

Eu: Pela internet.

Alguém: Que horas que os jogos passam?

Eu: Lá na Alemanha normalmente é a tarde, mas aqui a gente levanta cedo no final de semana e chora durante a semana porque passa em horário que normalmente estamos trabalhando.

Alguém: Amanhã tem jogo, né? Como está o time?

Eu: É, amanhã tem jogo contra o RB Leipzig, mais um time da Red Bull (eles estão tentando dominar o mundo), as 10:30 da manhã aqui. Mas o time não está bem não, vamos jogar a 14ª rodada e estamos em penúltimo na tabela.

Alguém: Nossa! Que ruim, heim? Vai ver amanhã?

Eu: Sim, não está fácil. Aliás, bem desanimador, já que o time não está mostrando muita vontade em campo. Tá faltando paixão em campo. Mas vamos lá, ainda tenho esperanças que esse quadro mude. Tomara que comece amanhã.

Alguém: Boa sorte!



E hoje eu acordei cedo, tomei café, me sentei em frente ao computador esperando o jogo começar. Me juntei a minha arquibancada virtual no twitter (the best family ever) pra assistir e comentar. Fiz igual a todos os finais de semana que tem jogo. 

Nesse jogo, se o St Pauli vencesse, ganharia um pouco de moral. Porque ninguém esperava nada dele. Estavam jogando com o 7º colocado e simplesmente não vêm ganhado nenhum jogo ultimamente. Mas tudo o que esperávamos (e estávamos torcendo para que estivéssemos errados) aconteceu. Perdemos e foi feio. Com placar de 4:1, sendo que o quarto gol foi contra. Pra piorar, Rzatkowski foi covardemente machucado e o jogador que o machucou levou apenas um cartão amarelo.

Um jogo apático, com uma defesa cada vez mais desnecessária (porque ela e nada é a mesma coisa) que deixa toda a carga por conta do Tschauner que tem se mostrado um verdadeiro herói. As coisas poderiam ser muito piores se ele não fizesse as defesas que faz.

Conversando com meus amigos de twitter, com quem acompanho os jogos todas as vezes, nos questionamos qual seria o problema do time. O técnico a gente meio que imagina que não seja, porque foram trocados 5 vezes e nada mudou. Quando Meggle assumiu parecia que a coisa ia mudar, pois ele foi jogador do time, assim como Stani. Ele já tinha um know-how com o time. Mas durou pouco e o time voltou a apatia.

Não sabemos. Simplesmente não sabemos o que está acontecendo com o time. Nunca foram um time brilhante e nunca estiveram na elite do futebol alemão, mas houveram épocas onde o time esbanjava paixão dentro de campo, era nítido e notório isso. Mas o time que vem jogando essa temporada está longe de ser o St Pauli que estamos acostumados a ver. 

É fato que precisamos de uma defesa melhor, jogadores melhores. Sugeriram buscar bons jogadores da terceira divisão e alguns moleques do U23, já que não teríamos grana pra bancar jogadores melhores porque sairiam muito caros. 

Temos ainda várias rodadas pela frente (5 até a pausa de inverno), há tempo para recuperação e não vamos desanimar e nem perder as esperanças em relação ao time. 

Porque torcer pro St. Pauli é isso aí. Sofrer muito, mas não desistir nunca!





St. Pauli is the only way! - Pra variar a torcida dando show. Mesmo em número menor, só dava a torcida do St. Pauli


Ficha Técnica da partida:

FC St. Pauli
Tschauner – Halstenberg, Sobiech, Ziereis, Schachten – Kurt (59. Budimir), Buchtmann, Alushi, Rzatkowski (44. Verhoek), Maier  – Thy (74. Daube)
Técnico: Thomas Meggle

RB Leipzig
Coltorti – Jung, Compper, Sebastian, Teigl – Khedira (87. Hierländer), Kaiser, Demme, Frahn (72. Kalmar) – Poulsen, Boyd (82. Morys)
Técnico: Alexander Zorniger

Gols: 1:0 Poulsen (17.), 2:0 und 3:1 Boyd (30., 53.), 2:1 Alushi (46.), 4:1 Verhoek (73. ET.)
Cartões Amarelos: Frahn (37.), Khedira (40.) – Rzatkowski (42.), Budimir (63.), Schachten (69.), Verhoek (71.), Ziereis (79.)
àrbitro: Manuel Gräfe
Público: 38.660

No comments:

Post a Comment