Wednesday, 21 August 2013

Entrevista com o capitão Fabian Boll.

Decidimos que seria legal colocar algumas entrevistas aqui no blog. Como tínhamos que começar em grande estilo, o nosso primeiro entrevistado é nada mais nada menos que o nosso capitão, Fabian Boll.




St. Pauli Brasil: Primeiro gostaríamos de saber sobre o início da sua carreira. Jogar futebol era um sonho de criança?

Fabian Boll: Não muito, mas sempre quis jogar futebol e da maior categoria possível. Quando se existe a possibilidade, não se diz não.


SPB: Você jogou em alguns times antes de começar no St. Pauli. Quais foram as razões que o levaram a escolher o time para jogar e o que mais te chamou a atenção nessa época?

FB: Um ano antes de jogar no St. Pauli eu tive um proposta do Norderstedt, porém recebi uma nova proposta e como fã do time decidi mudar. A atmosfera no Millerntor sempre me impressionou e como fã do clube, sempre tive o sonho de jogar aqui um dia.


SPB Você está jogando no St. Pauli desde 2002, o que é bastante tempo. Como é jogar no Millerntor, que é um estádio ‘a moda antiga’, quando hoje em dia você encontra tantas arenas modernas na Europa e ao redor do mundo?

FB: Nosso estádio nem é mais tão a moda antiga‘. O antigo estádio tinha um charme próprio, sem dúvidas, mas para se manter competitivo era importante que o Millerntor se modernizasse. Não temos uma arena como muitos outros clubes têm, mas ainda é um estádio especial, com um jeitão meio inglês, devido a localização no centro da cidade.


SPB: O que você pensa sobre o futebol moderno?

FB: O futebol moderno é cada vez mais um negócio. O futebol em si tem pouco a ver com a realidade – o business dos jogadores profissionais para mim é uma subcultura.


SPB: A última temporada não foi tão boa para o St. Pauli. Quais são as suas expectativas para a nova temporada?

FB: Queremos melhorar até o final da temporada, melhor do que estivemos na temporada passada. Precisamos de um pouco de tempo para formar uma equipe. Estamos com nove jogadores novos e por conta disso leva um tempo até nos entrosarmos.


SPB: Você está com 34 anos agora. Nós gostaríamos de saber até quando você planeja jogar e se você já tem planos para quando parar.

FB: Enquanto eu estiver ativamente jogando, não tenho como dizer. Até porque ainda não fiz grandes planos. Eu apenas noto mês a mês, quão motivado estou para jogar. Então, enquanto eu estiver pensando na minha carreira, não tenho planos para depois.


SPB: Durante a sua jornada no FC St. Pauli até agora, qual foi o melhor e o pior momento?

FB: Houve alguns belos momentos. Estes incluem a subida para a 1.Bundesliga em 2007 e 2010, o sucesso na Copa da DFB em 2005/06 e a vitória no derby contra o Hamburgo na 1.Bundesliga. Eu realmente não tenho um pior momento, mas no geral nenhuma derrota é legal, o rebaixamento previsível da 1.Bundesliga em 2011 e a quase subida no verão seguinte, não foram legais.


SPB: Você sabia que o St. Pauli tem fãs no Brasil e na América do Sul? O que você acha do alcance que o time tem, mesmo não sendo um time de primeira divisão e por isso você não pode ver os jogos nos canais esportivos fora da Alemanha e da Europa?

FB: Eu sei que temos um monte de fãs ao redor do mundo, como em Nova York ou até mesmo na Nova Zelândia. É bonito que um pequeno clube de bairro, como o FC St. Pauli que nunca celebrou grandes sucessos tenha tantos fãs ao redor do mundo. Isso é incrível!


SPB: Para terminar. Você poderia deixar uma mensagem para os fãs do St. Pauli no Brasil? 

FB: Para todos os brasileiros: deixem os alemães serem campeões do mundo no ano que vem! (risos do Boll). Para todos os fãs do St. Pauli no Brasil: Ergam bem alto a bandeira da caveira e espalhem que existe um pequeno clube em Hamburgo que é especial e sempre será especial por causa de seus muitos fãs ao redor do mundo.


Espero que tenham gostado e sintam-se a vontade para sugerir alguém que vocês gostariam de ver entrevistados aqui no blog. Prometemos que vamos correr atrás para conseguir, porque essa do Boll não foi fácil não.


I would like to say a big thank you to Heuke Brueckner and Christoph Pieper.

3 comments:

  1. Muito boa a entrevista Luciana, parabéns pelo blog, fiquei contente em ver que agora temos um canal de informação deste clube tão querido.

    Continuem assim!

    ReplyDelete
  2. Muito obrigada pelos elogios! Estamos trabalhando pra tornar o espaço aqui cada vez mais interessante.

    Nos acompanhe sempre!

    Abraços

    ReplyDelete
  3. Sensacional!!! Parabéns pela entrevista, Luciana! Muito legal mesmo!!!

    ReplyDelete