Saturday, 19 November 2011

Hansa Rostock x St. Pauli

Como era de se esperar, os dois maiores rivais da 2ª divisão alemã fizeram um duelo tenso, com expulsão no início do jogo, agressões, interrupções e as previsíveis manifestações racistas de Rostock.

Antes de começar a partida, as viúvas de Hitler atiraram um verdadeiro caminhão de bananas em direção ao gramado para intimidar o St. Pauli. O clima nas arquibancadas parece ter contaminado o campo, e aos 8 minutos Weilandt foi expulso pelo árbitro depois de cotovelada em Fabio Morena.

Com a bola rolando, no entanto, faltou feijão - ou quem sabe banana, não é? - para o Hansa Rostock. Aos 40 minutos do primeiro tempo, Kruse abriu o placar depois de boa jogada que passou pelos pés de Naki. Mintal empatou no início do segundo tempo, mas o Rostock cedeu à pressão e aos 35 Saglik levou o St. Pauli mais uma vez à vitória parcial. Não contente com o baile, o próprio Saglik, nos acréscimos, ampliou o marcador e levou a equipe de Hamburgo ao 3º lugar na Bundesliga 2. Enquanto isso, o Hansa ocupa a gloriosa 16ª colocação, flertando mais uma vez com a terceira divisão.

Acompanhe os melhores momentos da partida no link abaixo:

Até agora, não há sequer uma manifestação do Hansa sobre o fatídico episódio com as bananas. Nem desculpas. Agora é hora de ver se a Europa sabe punir mesmo como tanto dizem os "especialistas" de futebol aqui no Brasil.















Da próxima vez, melhor comer mais banana, Hansinha. Chupa, Rostock!

Forza St. Pauli!

3 comments:

  1. Caro Murilo, sabe me dizer se realmente essa manifestação dos torcedores do Hansa Rostock foi uma manifestação de cunho racial?
    Sei que muitos torcedores do Hansa são partidários da mentalização neo-nazista, mas nenhum meio de comunicação do Brasil mencionou o caso ainda.
    Obrigado!

    ReplyDelete
  2. O hansa perdeu o patrocinador

    ReplyDelete
  3. Olá William,

    No Brasil, até o Globoesporte noticiou o caso (http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/futebol-alemao/noticia/2011/11/segundona-classico-tem-bananas-no-campo-e-guerra-entre-torcidas.html). Mas o portal preferiu se abster de qualquer interpretação a respeito.

    Quando jogaram bananas em direção ao Roberto Carlos, na Rússia, os jornais não tiveram dúvidas as associar o ato com uma motivação racial.


    Abraços,
    Murilo.

    ReplyDelete